English French German Spain Italian Dutch
Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified

Bem-Vindos!


Bem-Vindos ao Blog Economia Política!


Aqueles que usam este blog nunca devem se esquecer: o conhecimento humano deve sempre e acima de tudo servir ao Bem da Humanidade!

quarta-feira, 4 de julho de 2012

INVESTIMENTO EM TECNOLOGIA E EXPORTAÇÕES DE PRODUTOS INTENSIVOS EM TECNOLOGIA


INVESTIMENTO EM TECNOLOGIA E EXPORTAÇÕES DE PRODUTOS INTENSIVOS EM TECNOLOGIA


Domingos de Gouveia Rodrigues


INTRODUÇÃO


O objetivo deste trabalho é analisar o desempenho dos países em termos da relação entre o investimento em pesquisa e desenvolvimento tecnológico (P&D) e o volume de exportações de produtos intensivos em tecnologia. O trabalho assume que a inovação tecnológica gera crescimento econômico-industrial e ajuda a melhorar a competitividade das exportações das nações tecnológico-industriais.


METODOLOGIA


O estudo utiliza os dados brutos do Banco Mundial, sistematizando-os de modo a comparar o desempenho dos diversos países, comparando-os entre si e em relação ao total mundial, procurando determinar os padrões de comportamento e as tendências dos últimos anos. No caso dos totais mundiais de exportações de produtos tecnologia-intensivos, o Banco Mundial só apresenta estatísticas a partir de 1999. Assim, utilizamos como critério para os totais mundiais, manter, para os demais anos, os percentuais encontrados para a participação dos países de nossa amostra em relação ao total mundial, que, de acordo com nossos cálculos, alcançou 92% em 1999 e em 2009. Desse modo, os países por nós estudados são, efetivamente, os mais representativos em termos de relevância tecnológica.

Investimentos em P&D são aqueles gastos correntes e de capital, públicos e privados, aplicados sistematicamente em trabalho criativo, incluindo conhecimentos em humanidades, cultura e sociedade, bem como o uso desse conhecimento para novas aplicações. Pesquisa e desenvolvimento inclui pesquisa básica, pesquisa aplicada e desenvolvimento experimental.

Exportações de produtos intensivos em tecnologia são aqueles ligadas a setores altamente utilizadores de inovações tecnológicas, como aeroespacial, computadores, farmacêuticos, instrumentos científicos e maquinaria elétrica.

Hipótese do Estudo

Como hipótese do estudo vamos assumir que existe uma relação direta (positiva) entre o volume de investimentos em pesquisa e desenvolvimento tecnológico (P&D) de uma nação e o volume de exportações de produtos intensivos em tecnologia.


RESULTADOS ESTATÍSTICOS

Investimento em P&D



A partir do Quadro abaixo, podemos concluir:

·        Entre os países com P&D/PIB acima de 1%, os aumentos mais significativos nessa relação foram alcançados por Portugal (197,2%), China (158,7%) e Estônia (151,0%). Outros países também apresentam aumentos importantes: Áustria (71,6%), Cingapura (99,2%), Dinamarca (64,3), Espanha (70,2), Hungria (76,3) e Turquia (88%).

·        Entre os países que tradicionalmente mais investem em P&D, a queda mais significativa na relação P&D/PIB ocorreu na Holanda (-7,1%), França (-1,8%) e Reino Unido (-0,5%). Outros países que também apresentam uma queda significativa em P&D são Bielorússia (-35,7%), Chile (-25,2%), Colômbia (-46,7%), Eslováquia (-47,3%) e Romênia (-32%).
·        Os países da Ásia Oriental e Pacífico têm uma relação P&D/PIB muito superior aos países da área do Euro e da União Europeia. Todavia, os países do sul da Ásia investem pouco em P&D.
·        Os países da América Latina e Caribe são países marginais do ponto de vista tecnológico.
·        O Brasil investe apenas 1% do PIB em P&D, nível que pode ser considerado ridículo para um país com uma riqueza efetiva e potencial elevada, fato que pode comprometer seu nível de competitividade industrial pelas próximas décadas se essa política não for substancialmente alterada.
·        A China, também nessa área, começa a despontar como um dos destaques mundiais, tendo investido 1,47% do PIB em P&D em 2008, esperando-se que alcance 2% do PIB a curto prazo.
·        A Coreia do Sul (3,36%) tem investido maciçamente em P&D e, em relação ao PIB, só é superada pela Finlândia (3,84%), Israel (4,27%) e Suécia (3,62%), fator que explica fortemente seu exemplar desempenho econômico nas últimas décadas.



INVESTIMENTOS EM P&D/PIB (%)
País/Área
1996
1997
1998
2007
2008
2009
2010
∆*
Ásia Oriental & Pacífico
2,29
2,37
2,34
2,45
2,52


9,6
Área do Euro
1,79
1,77
1,80
1,88
2,00
2,09

16,8
União Europeia
1,76
1,78
1,75
1,85
1,95
2,04

15,9
Países de Alta Renda
2,26
2,28
2,29
2,35
2,44


7,9
OCDE: Alta Renda
2,26
2,29
2,31
2,39
2,49


9,9
AL + Caribe
0,53


0,65



22,4
América do Norte
2,49
2,51
2,54
2,60
2,70


8,4
OCDE
2,22
2,24
2,24
2,30
2,45


10,5
Sul da Ásia
0,63
0,62
0,63
0,75



18,8
Mundo
2,01
2,05
2,05
2,01
2,15


6,8
África do Sul

0,60

0,92
0,93


54,6
Alemanha
2,19
2,24
2,27
2,53
2,68
2,82

28,6
Argentina
0,42
0,42
0,41
0,51
0,52


25,5
Austrália
1,65

1,51

2,35


42,0
Áustria
1,60
1,70
1,78
2,52
2,67
2,75
2,75
71,6
Bielorússia
1,00
0,73
0,71
0,96
0,74
0,64

-35,7
Bélgica
1,77
1,83
1,86
1,90
1,96
1,96

11,0
Brasil
0,72


1,07
1,08


51,1
Canadá
1,65
1,66
1,76
1,91
1,84
1,95

18,4
Chile
0,53
0,49
0,50
0,33
0,39


-25,2
China
0,57
0,64
0,65
1,40
1,47


158,7
Cingapura
1,34
1,43
1,75
2,37
2,66


99,2
Colômbia
0,30
0,27
0,24
0,16
0,15
0,16

-46,7
Coreia do Sul
2,42
2,48
2,34
3,21
3,36


38,6
Croácia



0,80
0,89
0,83

3,9
Cuba
0,35
0,40
0,50
0,44
0,49


39,8
Dinamarca
1,84
1,92
2,04
2,58
2,87
3,02

64,3
Eslováquia
0,91
1,08
0,78
0,46
0,47
0,48

-47,3
Eslovênia
1,29
1,28
1,34
1,45
1,65
1,86

43,4
Espanha
0,81
0,80
0,87
1,27
1,35
1,38

70,2
Estados Unidos
2,55
2,58
2,60
2,67
2,79


9,1
Estônia


0,57
1,11
1,29
1,44

151,0
Finlândia
2,53
2,71
2,88
3,47
3,72
3,96
3,84
52,0
França
2,27
2,19
2,14
2,08
2,12
2,23

-1,8
Grécia

0,45

0,58



27,8
Holanda
1,98
1,99
1,90
1,81
1,76
1,84

-7,1
Hong-Kong


0,43
0,77
0,73
0,79

82,5
Hungria
0,65
0,72
0,68
0,97
1,00
1,15

76,3
Índia
0,65
0,69
0,71
0,76



17,2
Irã




0,79



Irlanda
1,30
1,27
1,24
1,29
1,45
1,77

35,7
Islândia

1,83
2,00
2,68
2,64


44,0
Israel
2,74
3,00
3,13
4,80
4,66
4,27

56,2
Itália
0,99
1,03
1,05
1,18
1,23
1,27

28,7
Japão
2,80
2,87
3,00
3,44
3,45


22,9
Luxemburgo



1,58
1,56
1,68

6,4
Malásia
0,22

0,40




83,8
México
0,31
0,34
0,38
0,37



19,6
Noruega

1,63

1,65
1,64
1,80

10,7
Nova Zelândia

1,08

1,17



9,2
Paquistão

0,16
0,11
0,67

0,46

198,3
Polônia
0,65
0,65
0,67
0,57
0,60
0,68

3,3
Portugal
0,56
0,57
0,63
1,17
1,50
1,66

197,2
Reino Unido
1,83
1,77
1,76
1,78
1,77
1,87
1,82
-0,5
República Tcheca
0,97
1,08
1,15
1,54
1,47
1,53

58,0
Romênia
0,71
0,58
0,49
0,53
0,59
0,48

-32,0
Rússia
0,97
1,04
0,95
1,12
1,04
1,25

29,7
Suécia

3,47

3,40
3,70
3,62

4,5
Suíça
2,65



3,00


12,9
Turquia
0,45
0,49
0,37
0,72
0,73
0,85

88,0
Uruguai
0,27
0,35
0,19
0,43
0,66


149,6
Elaboração: Domingos de Gouveia Rodrigues.
Fonte dos Dados Brutos: Banco Mundial.
*Variação percentual entre as datas extremas da série do país/bloco.

Exportação de Produtos Intensivos Em Tecnologia


·        Como pode ser visto pelos Quadros abaixo, a partir dos anos 1990s começa a ocorrer, a nível mundial, uma mudança significativa nos principais atores responsáveis pela exportação de produtos intensivos em tecnologia, a qual se intensifica consideravelmente nos anos 2000s. Por um lado, verificamos uma redução substancial na participação dos países mais desenvolvidos representados pelos países da OCDE – Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico, cuja participação cai de 90% em 1988, para 55% em 2010. Por outro lado, ocorre um aumento considerável da participação de alguns países ditos em desenvolvimento.
·        As quedas mais significativas de participação são: Alemanha, de 15% em 1988 para 9% em 2010; Estados Unidos, de 22% em 1989 para 8% em 2010; Japão, de 27% em 1988 para 7% em 2010 e Reino Unido, de 13% em 1988 para 3% em 2010.
·        Os aumentos mais importantes são: China, de 1% em 1992 para 23% em 2010; Coreia do Sul, de 3% em 1989 para 6% em 2009; Cingapura, de 3% em 1989 para 7% em 2010; Malásia de 1% em 1989 para 3% em 2010.
·        A União Europeia, apesar de alguns de seus membros terem apresentados quedas significativas, estas foram compensadas pelo aumento de outros países, levando a uma participação constante no período, em torno de 33%.
·        O desempenho da China é impressionante, dado que, partindo de uma participação pequena até o final dos anos 1990s, transformou-se no maior exportador mundial de produtos intensivos em tecnologia, tendo exportado US$ 406 bilhões em 2010, muito acima das exportações dos Estados Unidos (US$ 145 bilhões). A China exportou mais do que toda a área do Euro (US$ 439 bilhões). A China é o maior exportador mundial e o segundo maior importador mundial, transformando-se numa verdadeira máquina de comércio internacional. As exportações chinesas representam mais de 30% de seu PIB, contra apenas 13% dos EUA.
·        As exportações do Brasil de produtos intensivos em tecnologia são insignificantes estatisticamente, não alcançando sequer 1% do total mundial. As exportações totais brasileiras representam apenas 12% de seu PIB.
  • De um modo geral, os países que apresentam melhor desempenho nas exportações de produtos intensivos em tecnologia são também aqueles com maior investimento em P&D, com exceção de Malásia e Tailândia que, apesar de apresentarem baixo investimento em P&D são exportadores importantes: a Malásia exportou US$ 59 bilhões em 2010 e a Tailândia exportou US$ 34 bilhões, valendo-se de investimentos das empresas multinacionais que aproveitam suas vantagens comparativas, notadamente elevada carga horária de trabalho e baixos salários e direitos sociais.



Regressão Econométrica

Com o intuito de estabelecer uma relação estatística entre a exportação de produtos intensivos em tecnologia e o investimento em pesquisa e desenvolvimento tecnológico (P&D), realizamos uma regressão econométrica entre essas duas variáveis, cujos resultados apresentamos abaixo:

Equação da Regressão

Exportações = 3,94 + 1,17 P&D
            “t”      (33,39)*  (3,61)*
             “F” = 8,65*  R2= 26,6
               n= 38 (países).

*Valores significantes ao nível de 5%.

Onde:
Exportações = Logaritmo do volume de exportações de cada país (em US$).
P&D = Logaritmo da relação P&D/PIB de cada país (em %).


Os resultados da regressão permitem inferir que há uma relação positiva e significativa estatisticamente (valores das estatísticas “t” e “F”) entre o volume de exportações de produtos intensivos em tecnologia (variável dependente) e o investimento em pesquisa e desenvolvimento tecnológico (variável explicativa). Como pode ser visto, o valor do coeficiente é acima de 1, fato que permite inferir, supondo válidos os valores dos coeficientes, que para cada 1% de aumento na relação P&D/PIB, ocorrerá um aumento mais que proporcional nas exportações de produtos intensivos em tecnologia. Contudo, o elevado valor do coeficiente linear e o baixo valor do R2, indicam que outras variáveis que não P&D também explicam o desempenho das exportações de produtos intensivos em tecnologia.
EXPORTAÇÕES DE PRODUTOS INTENSIVOS EM TECNOLOGIA  (%)
País/Região
1988
1989
1990
1992
1994
1999
2009
2010

Área do Euro



27
26
24
26
25
25
União Europeia




33
36
33
33
OCDE: alta renda
90
86
85
81
77
74
57
52
AL + Caribe




1
3
3

América do Norte


24
25
24
22
21
10
10
OCDE

86
86
82
78
76
60
55

Mundo

100
100
100
100
100
100
100
100
África do Sul



0
0
0
0
0
Alemanha
15
11
11
10
8
8
9
9
Argentina



0
0
0
0
0
Austrália
0
0
0
0
0
0
0
0
Áustria
1
1
1
1
1
1
1
1
Bélgica





1
2
2
Brasil

0
0
0
0
0
1
0
Canadá
3
2
3
2
2
2
1
1
Chile


0
0
0
0
0
0
China



1
1
3
20
23
Cingapura

3
4
4
7
6
6
7
Colômbia



0
0
0
0
0
Coreia do Sul
4
3
3
3
3
4
6

Dinamarca
1
1
1
1
1
1
1
0
Espanha
1
1
1
1
1
1
1
1
Estados Unidos

22
22
22
19
18
8
8
Finlândia
0
0
0
0
1
1
0
0
França
9
6
7
7
6
6
5
6
Grécia
0
0
0
0
0
0
0
0
Holanda
4
3
3
3
3
4
3
3
Hong-Kong



1
1
0
0
0
Hungria



0
0
0
1
1
Índia
0
0
0
0
0
0
1
1
Indonésia

0
0
0
0
0
0
0
Irlanda
2
2
2
1
2
3
2
1
Israel
0
0
0
0
0
0
1
0
Itália
4
3
3
3
2
2
2
2
Japão
27
19
17
16
16
11
6
7
Malásia
2
1
2
2
3
4
3
3
México

0
0
1
1
2
2
2
Noruega
0
0
0
0
0
0
0
0
Polônia



0
0
0
0
0
Portugal
0
0
0
0
0
0
0
0
Reino Unido
13
9
9
7
7
7
4
3
República Tcheca




0
0
1
1
Rússia





0
0
0
Suécia
2
2
2
1
1
1
1
1
Suíça
3
2
2
2
2
2
3
2
Tailândia

1
1
1
1
1
2
2
Turquia

0
0
0
0
0
0
0
Venezuela


0
0
0
0
0
0
Total Países
92
92
92
92
92
92
92
92
Elaboração: Domingos de Gouveia Rodrigues.
Fonte dos Dados Brutos: Banco Mundial.


EXPORTAÇÕES DE PRODUTOS INTENSIVOS EM TECNOLOGIA (US$ Milhões)*

País/Região
1988
1989
1990
1992
1994
1999
2009
2010

Área do Euro



109.100
128.591
141.277
258.260
389.889
439.190
União Europeia



173.898
194.683
352.743
511.122
574.316
OCDE:alta renda
203.907
298.382
342.308
395.575
455.590
727.497
903.846
916.503
AL+ Caribe




8.312
31.805
43.902

América do Norte


85.111
99.639
116.483
129.706
205.224
155.585
169.463
OCDE

299.558
343.421
399.418
462.376
752.512
936.637
956.357
Mundo
225.978
347.459
401.256
486.490
593.960
986.986
1.572.075
1.748.483
África do Sul



418
479
909
1.364
1.420
Alemanha
33.640
37.372
42.467
48.068
49.515
77.188
139.960
158.507
Argentina



255
247
599
1.546
1.634
Austrália
414
519
675
978
1.700
1.617
3.246
3.826
Áustria
2.162
1.994
2.891
3.320
4.008
6.360
12.254
13.721
Bélgica





13.477
29.461
32.227
Brasil

1.165
1.053
1.007
1.097
3.394
7.896
8.121
Canadá
7.261
8.343
10.122
11.782
14.171
23.792
23.178
23.966
Chile


43
31
40
83
248
482
China



4.303
8.258
29.598
309.600
406.089
Cingapura

11.643
15.023
21.773
40.313
60.030
95.398
126.981
Colômbia



151
161
289
462
425
Coreia do Sul
8.978
10.286
10.936
14.019
20.181
41.376
92.855

Dinamarca
2.213
2.405
3.255
3.587
4.048
6.487
10.629
8.291
Espanha
1.986
2.232
2.796
3.677
4.750
6.863
10.156
11.290
Estados Unidos

76.767
89.516
104.700
115.535
181.431
132.406
145.497
Finlândia
941
1.304
1.667
1.798
3.190
8.481
6.746
5.776
França
19.574
20.920
26.913
33.338
34.221
55.590
82.531
99.735
Grécia
72
79
103
113
169
574
1.169
1.089
Holanda
9.000
10.064
12.853
16.179
19.710
39.909
50.765
59.509
Hong-Kong



4.719
4.968
4.398
870
1.105
Hungria



279
348
4.837
16.918
18.770
Índia
402
512
497
615
959
1.679
10.728
10.086
Indonésia

101
144
493
1.375
2.728
6.038
6.673
Irlanda
5.277
6.163
6.841
7.187
9.980
28.523
24.286
21.232
Israel
831
998
1.111
1.366
2.008
4.643
7.889
7.978
Itália
8.109
8.972
11.561
13.395
14.116
17.284
25.027
26.365
Japão
60.989
64.898
66.664
78.431
96.491
104.650
95.158
122.047
Malásia
3.732
4.676
6.050
10.219
19.166
39.994
50.971
59.331
México

1.042
962
3.688
6.528
24.059
31.183
37.657
Noruega
999
961
1.263
1.322
1.252
1.907
3.807
3.829
Polônia



268
285
557
6.626
8.378
Portugal
343
448
543
542
538
1.016
1.166
1.213
Reino Unido
28.433
30.671
34.632
34.872
41.371
66.256
55.135
59.446
República Tcheca




509
2.056
14.251
17.468
Rússia





2.277
4.527
5.193
Suécia
5.076
5.338
6.108
6.248
6.674
13.879
12.794
16.132
Suíça
7.479
7.541
9.277
9.774
10.344
16.163
39.446
42.819
Tailândia

2.132
3.030
4.778
7.743
13.998
27.764
34.156
Turquia

133
106
123
217
870
1.359
1.713
Venezuela


73
33
54
70
66
145
Total Países
207.911
319.679
369.175
447.594
546.472
909.292
1.446.333
1.608.688











Elaboração: Domingos de Gouveia Rodrigues.
Fonte dos Dados Brutos: Banco Mundial.

Nenhum comentário:

Postar um comentário